Cine Belas Artes

Localiza√ß√£o: Rua da Consola√ß√£o n¬ļ 2423

Inaugurado em 14/07/1967, o Cine Belas Artes √© o leg√≠timo representante daquilo que comumente se atribuiu chamar “Cinema de Arte”. Idealizado pela Companhia Serrador e pelo cineasta Dante Ancona Lopes, o primeiro filme a ser exibido foi ‚ÄúOs Russos Est√£o Chegando‚ÄĚ, num momento em que a Guerra Fria vivia seu maior expoente no Brasil sob a Ditadura Civil-Militar. Foi no Belas Artes que nasceu a Sociedade de Amigos da Cinemateca, e portanto, onde foi gestada a Cinemateca Brasileira. Foi e √© tamb√©m influ√™ncia para todo o circuito de cinema de arte do estado de S√£o Paulo.
Sempre mantendo seu papel de vanguarda na exibi√ß√£o, o Cine Belas Artes resistiu √†s novas e modernas salas de cinema alocadas dentro de Shopping Centers, focando na diversidade de t√≠tulos e na diferenciada forma de exibi√ß√£o com programa√ß√Ķes que duravam toda a noite (conhecidos como Noit√Ķes, dedicados a temas selecionados, onde tr√™s filmes s√£o exibidos na mesma noite, com direito √† caf√© na manh√£ seguinte).
Instalado num edif√≠cio Moderno, projetado e constru√≠do pelo arquiteto italiano Giancarlo Palanti entre 1952 e 1954, em conjunto com os edif√≠cios Chipre e Gibraltar, cuja entrada se faz pela Av. Paulista, naquele momento esquina emergente da capital paulista. Nascido para ser o Cine Trianon, a sala possuia originalmente 1200 lugares, e sua implanta√ß√£o conferia independ√™ncia total no funcionamento e uso entre as torres residenciais e o cinema, algo inovador quando comparado √†quelas din√Ęmicas aplicadas em outras salas de cinema que compartilhavam edif√≠cios residenciais. Sua caracter√≠stica mais marcante √© justamente a rela√ß√£o do Chipre e Gibraltar e Cine Trianon com o urbano, o di√°logo com a paisagem com a qual se comp√Ķem. Destaque para a entrada, marcada exteriormente atrav√©s de marquises, escadas, como que uma escava√ß√£o no corpo do edif√≠cio com o intuito de assinalar a transi√ß√£o entre o espa√ßo da rua, externo, e o interior.

O tombamento do Cine Belas Artes √© um exemplo de articula√ß√£o entre as pol√≠ticas de preserva√ß√£o – contemplada pelo tombamento – e pol√≠ticas p√ļblicas de cultura – com a interven√ß√£o da Prefeitura de S√£o Paulo para possibilitar seu uso como difusor de cultural e polo de articula√ß√£o da ag√™ncia SP Cine e o patroc√≠nio do banco estatal Caixa Econ√īmica Federal.

Fonte Historiadora Deborah Regina Leal Neves

N√ļmero do Processo:¬† 65359/11

Resolução de Tombamento:  Resolução 105, de 11/11/15

Publicação do Diário Oficial

Rolar para cima